Novas Orientações sobre Ementas e Refeitórios Escolares

Posted in: noticias- Set 26, 2018 Comentários desligados

Novas Orientações sobre Ementas e Refeitórios Escolares

 

A alimentação escolar é destinada a todos os alunos e tem como objetivo assegurar uma alimentação saudável e equilibrada, adequada às necessidades dos diferentes grupos etários da comunidade escolar.

A qualidade das refeições escolares revela-se de elevada importância, uma vez que a escola é um local onde as crianças e os jovens despendem um tempo significativo do seu dia, ingerindo nesta a maioria das suas refeições. Por outro lado, os alimentos e refeições disponibilizados, terão um impacto direto na saúde e desenvolvimento dos alunos e ainda no rendimento escolar.

O que são?

As Orientações sobre Ementas e Refeitórios Escolares, publicadas em Julho de 2018, foram elaboradas pela Direção-Geral da Educação com o apoio do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (Direção-Geral da Saúde – Ministério da Saúde) e da Ordem dos Nutricionistas. Este documento apresenta diretrizes sobre os critérios a respeitar no fornecimento de refeições nos refeitórios escolares, a partir do início do ano letivo 2018/2019.

A aplicação destas orientações visa não só promover a adoção de hábitos alimentares saudáveis, mas também o sucesso académico dos alunos.

 

O que muda?

A Circular nº 3097/DGE/2018, onde é apresentado este novo documento, vem revogar as orientações existentes até á data na Circular nº 3/DSEEAS/DGE/ 2013.

As principais alterações às anteriores orientações, são as seguintes:

  • 40 propostas de ementas vegetarianas com respetivas fichas técnicas;
  • 15 propostas de ementas mediterrânicas com respetivas fichas técnicas;
  • Orientações mais detalhadas sobre os alimentos autorizados, incluindo géneros alimentícios destinados sobretudo a ementas vegetarianas;
  • Orientações mais precisas sobre constituintes das refeições;
  • Orientações mais detalhadas sobre componentes da ementa;
  • Grelha de monitorização dos refeitórios, destinada às direções das unidades orgânicas;
  • A atualização das capitações de alguns dos alimentos, estabelecendo, valores precisos para as crianças da educação pré́-escolar e para os alunos do 1o CEB;
  • Uma abordagem ambiental, nomeadamente com orientações sobre as espécies de pescado mais sustentáveis.

 

Referências:

-Circular no.:3097/DGE/2018

- Lima, R. M. Orientações sobre Ementas e Refeitórios Escolares. Direção-Geral da Educação (DGE). 2018

-Circular no.:3/DSEEAS/DGE/ 2013

- Burkhalter TM, Hillman CH. A Narrative Review of Physical Activity, Nutrition, and Obesity to Cognition and Scholastic Performance across the Human Lifespan. Advances in Nutrition. 2011;2(2):201S-206S. doi:10.3945/an.111.000331.

- Burrows T, Goldman S, Pursey K, Lim R. Is there an association between dietary intake and academic achievement: a systematic review. Journal of Human Nutrition and Dietetics. 2017 Apr;30(2):117-140. doi: 10.1111/jhn.12407.

- Condon, E. M. et al. School Meals: Types of Foods Offered to and Consumed by Children at Lunch and Breakfast. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics. Volume 109, Issue 2, S67 – S78. 2009

 

 

 

New Guidelines for School Menus and Canteens

 

School Meals are for all students and the objective is to ensure a healthy and balanced feeding, adequate to the different needs of all the age groups from school community.

The school meals’ quality is very important once the school is one local where children spend a significative amount of time of their day, eating here the majority of their meals. Additionally, the food and meals that are given and available will impact directly on students’ health and development and even on school performance.

What is it?

The Guidelines for School Menus and Canteens, published in July of 2018, were produced by the Directorate-General for Education with the support from the National Program for the Promotion of Healthy Eating (Directorate-General for Health – Ministry of Health) and Nutritionists Order. This document contains guidelines about the requirements in the supply of meals in the school canteens, beginning in the school year of 2018/2019.

The application of this guidelines not only promote the adoption of healthy eating habits but also the students’ academic success.

What changes?

The Regulatory Document No. 3097/DGE/2018, where it’s introduced this new document, revoke the former guidelines that appear in the Regulatory Document No.3/DSEEAS/DGE/ 2013.

The main changes in relation to previous guidelines are the following:

  • 40 proposals of vegetarian menus with the related technical file;
  • 15 proposals of Mediterranean menus with the related technical file;
  • More detailed guidelines about the authorized food, including foodstuff mainly intended to the vegetarian menus;
  • More accurate guidelines about meals’ constituents;
  • More detailed guidelines about meals’ components;
  • Canteens’ surveillance grid to the administration of the organic units;
  • Update of the food per capita portions, setting accurate values for the pre-school and primary students;
  • An environmental approach, namely with guidelines about the more sustainable fish species.

 

References:

-Circular no.:3097/DGE/2018 

- Lima, R. M. Orientações sobre Ementas e Refeitórios Escolares. Direção-Geral da Educação (DGE). 2018

- Circular no.:3/DSEEAS/DGE/ 2013

- Burkhalter TM, Hillman CH. A Narrative Review of Physical Activity, Nutrition, and Obesity to Cognition and Scholastic Performance across the Human Lifespan. Advances in Nutrition. 2011;2(2):201S-206S. doi:10.3945/an.111.000331.

- Burrows T, Goldman S, Pursey K, Lim R. Is there an association between dietary intake and academic achievement: a systematic review. Journal of Human Nutrition and Dietetics. 2017 Apr;30(2):117-140. doi: 10.1111/jhn.12407.

- Condon, E. M. et al. School Meals: Types of Foods Offered to and Consumed by Children at Lunch and Breakfast. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics. Volume 109, Issue 2, S67 – S78. 2009