Alergia Alimentar

Posted in: noticias- Out 25, 2018 Comentários desligados

Alergia Alimentar

A alergia alimentar afeta atualmente cerca de 7 milhões de pessoas, tendo os casos de alergia aumentado nos últimos 10 anos.

A alergia alimentar não é o mesmo que uma intolerância alimentar. A intolerância alimentar é uma reação adversa, reprodutível, que ocorre após a exposição a um determinado alimento, mas que não envolve o sistema imunitário. Como é o caso da intolerância à lactose, na qual o organismo não consegue digerir este açúcar do leite, não pondo a vida do doente em risco. Pelo contrário, na alergia alimentar o sistema imunitário reconhece o alimento como um agressor. A fração do alimento responsável por essa reação denomina-se alergénio e é uma proteína. 90% das reações são causadas por 8 alimentos, entre os quais o leite de vaca, ovo, amendoim, frutos gordos e oleaginosos (como a noz, avelã e amêndoa), peixe, marisco, trigo e soja. Os indivíduos podem ser alérgicos a apenas um ou, ainda que relativamente raro, a mais do que um alimento (alergia alimentar múltipla). Existe ainda a reatividade cruzada que surge devido às semelhanças entre os alergénios. Por exemplo a alergia ao marisco está associada à alergia a ácaros.

Pode ter várias manifestações, mas a reação mais grave é a anafilaxia, que é uma reação alérgica rápida, generalizada e potencialmente fatal. Nestes casos de emergência clínica, deve ser administrada adrenalina de imediato e contactado o INEM. Uma reação anafilática pode ser despoletada não só após ingestão do alimento que contém o alergénio, mas também por inalaçãoou pelo contatodireto com o mesmo. Ou seja, um doente com alergia pode ter uma reação ao inalar vapor, que se forma, por exemplo, quando o alimento é cozinhado, ou ao tocar no alimento ou numa superfície que tenha estado em contacto com o alergénio.

O único tratamento para esta doença é a evicção alimentar, isto é, a exclusão de todos os alimentos que podem conter o alergénio. Por exemplo no caso de uma alergia ao ovo, devem ser excluídos, para além do próprio ovo, canja, salgados, maionese, alimentos pincelados com ovo (como empadas e folhados) e ainda alguns alimentos processados como produtos de pastelaria e confeitaria, pães de leite e bicos de pato, massa tenra, massa folhada, molhos, hambúrgueres, salsichas e bolachas. Também a contaminação cruzada tem que ser evitada. Esta acontece quando dois alimentos diferentes entram em contacto, passando o alimento “seguro” a conter uma pequena quantidade do alimento alergénico, tornando-se assim perigoso para o indivíduo com alergia alimentar.  Este contacto pode ser direto ou indireto, através das mãos, utensílios ou equipamentos.

A alergia alimentar é um problema que exige bastante atenção e cuidado e não deve ser desvalorizado, nem pode ser motivo de exclusão.

Referência:

Nunes, M., Barros, R., Moreira, P., Moreira, A., Almeida, M. Alergia Alimentar. Direção-Geral da Educação (DGE), Direção-Geral da Saúde (DGS). 2012

Food Allergy

 

Nowadays food allergy affects about 7 million people, having the cases of allergy increased in the last 10 years.

Food allergy is not the same as food intolerance. Food intolerance is an adverse reaction, replicated, that occurs after an exposure to a specific food, but it doesn’t involve the immune system. Like the lactose intolerance in which the organism cannot digest this milk sugar, not threatening the patient’s life. On the contrary, in food allergy the immune system recognizes the food as an aggressor. The food fraction responsible for this reaction is a protein and it’s named as allergen. 90% of the reactions are caused by 8 foods, such as cow milk, egg, peanut, tree nuts and oleaginous fruits (like walnut, hazelnut and almond), fish, shellfish, wheat and soy.Individuals can be allergic to just one or, even rare, to more than one food (multiple food allergy). There is still allergen cross-reactivity that appear due to the similarities between allergens. For example, the shellfish allergy is associated to dust mites allergy.

There are different consequences, but the most serious reaction is anaphylaxis, which is a quick, general and potentially fatal allergic reaction. In these clinical emergencies, it must be immediately given adrenalin and contacted the emergency authorities. The anaphylactic reaction can occur not only from the food intake that contains the allergen, but also from inhalation or by direct contact with it. In other words, a patient with allergy can have a reaction by inhaling steam, that is developed when the food is cooked, or by touching on the food or on the surface that was in contact with the allergen.

The only treatment for this disease is the food eviction, which means to avoid all the foods that can contain the allergen. For example, in an egg allergy, it must be excluded, besides the egg, chicken broth, salty snacks, mayonnaise, food brushed with egg (like pies and puffs) and even some processed foods such as pastries, sweet bread, sauces, hamburgers, sausages and cookies. Also, the cross-contamination must be avoided. It happens when two different foods touch each other, making “safe food” have a little quantity of the allergen, turning it dangerous to the food allergic person. This contact can be direct or indirect, through hands, tools and surfaces.

Food allergy is a problem that requires a lot of attention and care and should not be devalued nor even a motive for exclusion.

 

Reference:

Nunes, M., Barros, R., Moreira, P., Moreira, A., Almeida, M. Alergia Alimentar. Direção-Geral da Educação (DGE), Direção-Geral da Saúde (DGS). 2012